Manutenção de Válvulas

Equipamentos modernos viabilizam recuperar válvulas industriais de diâmetro nominal até 30 polegadas, os quais são empregados nas restaurações das especificações construtivas originais. Selecionados e identificados, os novos componentes substituídos que passam a integrar o produto, são rastreáveis e com certificação.

 

Após análise das válvulas para identificação de seus materiais, as mesmas são cuidadosamente desmontadas, para análise dos componentes quanto aos aspectos dimensionais, inclusive espessura de parede e, se adequados ao uso, são jateados para posterior recuperação. As válvulas são testadas de acordo com a sua classe de pressão, e emitidos os certificado de teste, preservadas as especificações originais. Na fase de acabamento, as válvulas são testadas de acordo com os padrões próprios do produto e identificadas.

 

EXCELÊNCIA EM MANUTENÇÃO DE VÁLVULAS DE CONTROLE

 

A preocupação com a manutenção sempre foi primordial e de extrema importância para qualquer empresa, visto que influência diretamente nas estratégias e nos resultados dos negócios, pois é possível antecipar-se e evitar falhas que podem ocasionar paradas imprevistas dos equipamentos e processos produtivos. É sempre importante lembrarmos os tipos mais comuns de manutenção, sendo essas: manutenção corretiva, preventiva, preditiva e detectiva.

 

ARTIGO TÉCNICO:

 

A manutenção corretiva pode ser subdividida em duas, sendo:

– Manutenção corretiva não planejada: onde nesse caso a  manutenção é caracterizada pela atuação das equipes em fatos que já ocorreram, ou seja não há tempo para a preparação de componentes e nem de planejar o serviço; isto é, manutenção corretiva não planejada é a correção da falha de modo aleatório a fim de evitar outras conseqüências. (WILLIANS, 1994 apud CASTELLA, 2001).

 

– Manutenção corretiva planejada: Neste caso, tem-se uma falha ou condição anormal de operação de um equipamento e a correção depende de decisão gerencial, em função de acompanhamento preditivo ou pela decisão de operar até a quebra. A decisão de adotar a política de manutenção corretiva planejada pode ser originada com base em vários fatores, tais como: negociação de parada do processo produtivo com a equipe de operação, aspectos ligados à segurança, melhor planejamento dos serviços, garantia de ferramental e peças sobressalentes, necessidade de recursos humanos, e a necessidade de serviços contratados. Esse tipo de manutenção possibilita o planejamento dos recursos necessários para a intervenção de manutenção, uma vez que a falha é esperada. (PINTO e XAVIER, 2001 apud MUASSAB, 2002).

 

Manutenção preventiva: Trata-se de atuação realizada de maneira a reduzir ou evitar a falha ou a queda no desempenho do equipamento, obedecendo a um plano de manutenção preventiva previamente elaborada, baseado em intervalos definidos em tempo.

Utilizando dados estatísticos de arquivos ou históricos disponíveis procura-se determinar o tempo provável em que ocorrerá a falha.

 

Manutenção preditiva: Também é conhecida como manutenção sob condição ou com base no estado do equipamento. É baseada na tentativa de definir o estado futuro de um equipamento ou sistema, por meio dos dados coletados ao longo do tempo por uma instrumentação específica, verificando e analisando a tendência de variáveis do equipamento. Esses dados coletados, por meio de medições em campo como temperatura, vibração, análise físico-química, ensaios por ultrassom, termografia, não permitem um diagnóstico preciso; portanto, trabalha-se no contexto de uma avaliação probabilística. Esse tipo de manutenção caracteriza-se pela previsibilidade da deterioração do equipamento, prevenindo falhas por meio do monitoramento dos parâmetros principais, com o equipamento em funcionamento. A manutenção preditiva é a execução da manutenção no momento adequado, antes que o equipamento apresente falha, e tem a finalidade de evitar a falha funcional ou evitar as conseqüências desta (MOUBRAY, 1997).

 

– Manutenção detectiva: Na década de 1990 o termo manutenção detectiva começou a ser utilizado. É um tipo de manutenção efetuada em sistemas de proteção buscando detectar falhas ocultas ou não perceptíveis às equipes de operação e manutenção (PINTO, 2001 apud CASTELLA, 2001) Essa é a política adotada quando o processo possui subconjuntos nos quais é Praticamente impossível detectar falhas antes que elas ocorram, buscando eliminar falhas ocultas por meio de testes periódicos no sistema.

Como podemos observar existem diversos tipos de manutenção que podem nos ajudar a aumentar a vida útil de um equipamento ou a não ocorrência de uma parada indesejada.

E pensando desta forma, a YGB possui equipes preparadas e habilitadas para realizar  manutenção de válvulas de controle do tipo globo, independente do fabricante, de acordo com o  escopo de serviços abaixo:

Inspeção visual e teste de bancada de recepção;

Relatório técnico incluindo: registro fotográfico da válvula e de seus componentes;

Desmontagem das peças e limpeza geral;

Inspeção dos componentes com controle de materiais e dimensões;

Manutenção ou substituição dos componentes avariados;

Execução de ensaios não destrutivos, se necessário;

Tratamento químico e jateamento;

Teste Hidrostático;

Montagem e Calibração;

Teste estanqueidade conforme Normas ANSI / FCI 70.2;

Pintura final Padrão YGB;

Emissão de relatório técnico e certificado de qualidade.